Qual é a causa da fibromialgia? Mito #3: Fibromialgia não tem causa

Quantas vezes você já ouviu que fibromialgia é psicológica? Ou que é coisa da sua cabeça? Ou que você precisa “ser forte” e continuar sua vida normalmente e assim você vai parar de ter dor? Eu aposto que você já ouviu isso alguma vez – se não muitas! Neste artigo, dando continuidade à série sobre Os 7 Mitos da Fibromialgia, vamos conversar sobre o mito de que fibromialgia não tem causa, ou que não tem nada de errado com os pacientes que tem fibromialgia, e por isso, deve ser uma doença imaginária.

Antes de falar sobre isso, eu quero te contar uma história. Vamos pensar na doença e tratamento mais simples de compreender: infecção e antibiótico. Você é infectado por algum microrganismo, o médico recomenda o antibiótico que age para este tipo, você usa o medicamento, o invasor morre e você se cura.

Muito bem. Em algum momento passado da existência da humanidade, as pessoas adoeciam e não sabiam a causa. Começavam a passar mal, tinham febre, vômitos, feridas, e muitas vezes até atribuíam esses sintomas a espíritos malignos ou punições celestiais. A causa sempre existiu, mas não era conhecida. Assim, dificilmente havia cura, pois era como enfrentar uma batalha com um inimigo invisível.

Depois, a causa foi descoberta, mas o tratamento não era conhecido. Como matar aqueles microrganismos sem prejudicar o paciente? Até que, finalmente, o primeiro antibiótico moderno foi descoberto: a penicilina. O mais curioso é que ela foi descoberta por acidente, na observação de fenômenos em laboratório. Por fim, hoje existem diversos tipos de antibióticos específicos para cada tipo de microrganismo.

Por que eu te contei tudo isso? Você já vai entender. A fibromialgia, até muito recentemente, não tinha nenhuma causa aparente ou conhecida, o que não significa que a causa não exista. Apenas ainda não desenvolvemos tecnologia suficiente para descobri-la. Felizmente, estudos americanos já começaram a indicar alterações em pessoas com fibromialgia, dentre elas em substâncias no liquor, no sangue e nas ondas cerebrais durante o sono. Os estudos ainda não são conclusivos, ainda não se sabe ao certo como isso funciona, mas já temos um começo.

Sendo assim, se em algum momento você se sentir mal por duvidar se realmente você tem fibromialgia, se isso realmente existe, se você está indo à loucura…. Acalme-se. Lembre-se dos momentos em que você sentiu muita dor, esteve em crise, e lembre que ela é real. Mas não se prenda aí; entenda que, apesar do tratamento perfeito ainda não estar disponível, temos muitas alternativas que possibilitam que você tenha uma vida feliz e tranquila, mesmo com fibromialgia.

No mito #2 da fibromialgia eu falei sobre isso, talvez possa ajudar você (clique aqui).

É possível 🙂

OBS: Sempre bom lembrar que doenças psicológicas também são doenças! Possuem sintomas definidos, diagnóstico e tratamento. Apenas não é o caso da fibromialgia. Quanto mais informação, menos preconceito, e mais ajuda para quem sofre com tudo isso.

 

Deixe seus comentários para eu saber se você está gostando, curta, compartilhe!

 

Lívia Teixeira   |   Coaching de vida para pessoas com fibromialgia

Lívia é farmacêutica, coach, paciente de fibromialgia e Idealizadora do programa De Bem Com a Fibro

Contato: livia@debemcomafibro.com.br

 Instagram: @livia_debemcomafibro

 Facebook: Lívia Teixeira – De Bem Com a Fibro

 YouTube: Lívia Teixeira – De Bem Com a Fibro

 

Compartilhe com seus amigos:

Deixe uma resposta