Será que fibromialgia realmente engorda?

Descubra da onde podem vir os quilos a mais

No último artigo aqui do blog falamos sobre o mito de que fibromialgia causa depressão, e todas as questões envolvidas com isso. Hoje seguiremos nessa linha de causa x consequência, com outro assunto bastante polêmico: o sobrepeso. Fibromialgia engorda?

Antes disso, você sabe a diferença entre sobrepeso e obesidade?

O sobrepeso é uma condição em que a pessoa tem o peso maior do que o considerado normal para aquela altura, idade e sexo, mas não necessariamente envolve o acúmulo excessivo de gordura. Já a obesidade é a condição onde há realmente excesso de armazenamento de gordura, que pode ser muito prejudicial ao organismo.

As causas de ambas as condições são similares: descartando-se a possibilidade de distúrbios alimentares, clínicos ou metabólicos relevantes, os motivos podem ser o excesso de alimentos; sedentarismo/falta de atividade física regular, entre outros. Seu organismo faz um cálculo simples: a quantidade de energia que entra é menor, maior ou igual à quantidade de energia gasta?

Veja matéria sobre fibromialgia e obesidade  

A fibromialgia não causa sobrepeso nem obesidade diretamente. Então, respondendo à pergunta inicial, não, fibromialgia não engorda. Vejo muitas pessoas com fibromialgia dentro do peso ideal e sem problemas relacionados a isso. O que pode acontecer é um aumento de peso decorrente das consequências da fibromialgia em alguns pacientes.
Caso a pessoa, por causa da dor, pare de realizar as atividades que costumava realizar; não consiga se exercitar; tenha relação de compensação com a comida (“descontar” frustrações e tristezas na comida, ou mesmo se presentear com comida como sensação de “eu mereço, já que estou sentindo tanta dor”); deixe de sair de casa; apresente quadro de depressão, comendo mais que o normal ou fazendo menos atividades que o normal; tudo isso pode contribuir para o ganho de peso.

Alguns medicamentos podem ter como efeito colateral a alteração de apetite ou retenção de líquido, o que também contribui com o aumento. Mas isso não é uma regra, e nem uma sentença. Você não está fadado a engordar. 

Se você engordou, pare e pense a quais fatores esse ganho de peso pode estar relacionado. Você está fazendo tudo o que pode? Em relação à sua alimentação, tem priorizado uma alimentação saudável e balanceada, uma vez que isso também influencia na fibromialgia? Tem dado o seu melhor para se exercitar ou se movimentar, o mínimo que seja? Ou você tem utilizado a fibromialgia como muleta para paralisar sua vida completamente? 

Veja também o artigo sobre a influência da mente na fibromialgia

É claro que condições de crise ou dor muito severas impossibilitam, ou pelo menos dificultam muito todo o processo de melhoria da doença. Se esse é o seu caso, você consegue pensar em alguma coisa, por menor que seja, que você pode fazer diferente para caminhar em direção a um futuro mais feliz?

Dentro do possível, procure ajuda, procure profissionais de saúde capacitados que possam te ajudar, e principalmente se comprometa com a sua evolução.
Inscreva-se aqui e receba todas as novidades sobre fibromialgia!